Notícias

Nuno Serra acusa APA de encobrir poluição no rio Ferreira

O presidente da Junta de Freguesia de Lordelo acusou a Associação Portuguesa do Ambiente (APA) de estar a dar cobertura ao problema com a poluição do rio Ferreira provocada pelas descargas na ETAR de Arreigada. Nuno Serra falou durante a conferência ‘Uso Sustentável da Água – Cada Gota Conta’, organizada pelo JN, em colaboração com a Área Metropolitana do Porto, desafiando Pimenta Machado, vice-presidente da APA, a comprometer-se resolver este “esgoto a céu aberto” e indicando a saída da APA se não conseguir cumprir a promessa.

O vice-presidente da APA respondeu que o problema é “única e exclusiva responsabilidade do município” de Paços de Ferreira.

Nuno Serra lembrou que a obra de requalificação efetuada na ETAR foi financiada por fundos comunitários e piorou ainda mais o seu processo de tratamento, passando a estrutura a funcionar de “20 a 30%”, enquanto o seu funcionamento estava nos 50% antes da intervenção.

Recorde-se que a 28 de fevereiro, a APA admitiu que a ETAR de Arreigada não cumpria com as normas de descarga estabelecidas na legislação em vigor e sublinhou que “já sinalizou a prioridade desta questão junto da entidade gestora do PT2030 para o ciclo urbano da água, no sentido de acomodar os trabalhos necessários em futuros avisos a financiamento”.

Por sua vez, a Câmara Municipal de Paços de Ferreira respondeu, em declarações à Agência Lusa, que “muito breve prazo, será lançado procedimento concursal para realização das obras necessárias na ETAR. O Sr. Ministro do Ambiente e a APA garantem que será assegurado o financiamento necessário e justificado para a intervenção. A indicação é de que o financiamento será assegurado com recurso ao [programa] PT 2030”.

O município de Paços de Ferreira acrescentou que as responsabilidades dos intervenientes na intervenção de ampliação e requalificação já levada a cabo na ETAR “serão apurados em ação judicial que o município se encontra a ultimar”.

A intervenção que obrigou a investimento de 5,1 milhões de euros visava, refere a autarquia, aumentar a capacidade de tratamento, tendo a elaboração do respetivo projeto e execução da empreitada sido contratada externamente ao município.

Nuno Serra participou na conferência na companhia de Nadine Gonçalves, enquanto membros do movimento ‘Mataram o Rio Ferreira’.

Partilhar notícia:

Redes Sociais
Subscrever newsletter

Receba a informação da nossa cidade.